O Falecimento de Dallas McCarver – O que realmente aconteceu

mccarver morto

Agora os fatos estão quase que completamente esclarecidos.

Aaron Singerman, dono da empresa que patrocinava Dallas McCarver, relatou a história verdadeira:

O Bodybuilder Australiano, Josh Lenartowicz – que estava hospedado no apartamento de Dallas para se preparar para o Olympia 2017 – chegou em casa e o encontrou caído de bruços no chão da cozinha.

Josh o virou e percebeu comida na sua boca. Chamou a amanbulância e tentou reanimar o amigo sem sucesso,

Até agora, dizem que ele morreu engasgado com a comida, mas poderia ter sido um ataque cardico durante uma refeição?

Assistam o video com a história completa:

banner dcfit Consultoria 2017

Dallas McCarver realmente faleceu?

Terça-Feira, 22 de agosto de 2017. Começam a circular boatos na internet sobre a morte de Dallas MCarver.

A notícia vem se espalhando, porém, sem confirmação oficial até o momento (11:33hrs da manhã, Brasília).

Muita gente vem postando RIP em comnentários de posts no perfil de Dallas no Instagram.

As revistas especializadas americanas vêm tratando o assunto com cautela e ainda não se pronunciaram oficialmente.

Até o momento, Nem Dallas McCarver nem ninguém de sua família veio publicar alguma coisa desmentindo a informação.

Nathan DeAsha postou momentos atrás uma foto de Dallas com os dizeres:  “RIP”  (Descanse em Paz em Inglês.)

Essa é a única manifestação oficial de alguém até o momento.

dallas rip nathan

Outras informações relevantes até o momento são que Dallas vinhah sendo treinado por Chad Nicholls e havia praticamente desmaiado no palco (saiu carregado pelos outros competidores) do Arnold Classic Australia, uns meses atrás.

Estou tentando contato com as minhas fontes e continuando as pesquisas para trazer atualizações e outros fatos sobre a triste notícia da possível morte de Dallas McCarver.

Acompanhem pelo site Diario do Culturismo e minhas redes sociais.

Preconceito e Etiqueta na sala de musculação – Por Fernando Marques

Nota do Miguel Chain – Em quase dez anos do Diário do Culturismo, essa é a segunda vez que publico um artigo que não tenha sido escrito por mim. Mas essa peça do Fernando Marques era simplesmente boa, verdadeira e oportuna demais para não ser publicada.
Obrigado Fernando pela sua amizade e consideração nesses anos todos e principalmente obrigado por tudo o que você tem feito nas últimas décadas para o desenvolvimento expansão do Bodybuilding e musculação em nosso País.

Vocês podem encontrar mais textos e pensamentos do Fernando em seu perfil no instagram: @fermarquestrust

WhatsApp Image 2016-12-05 at 10.08.33

Por Fernando Marques

A maior carência do povo brasileiro é a EDUCAÇÃO. A falta dela (seja nas escolas ou em casa) é o principal motivo de ainda sermos um “país em desenvolvimento”. O objetivo deste texto não é ENSINAR, e sim fazer refletir. Muitas vezes ligamos nossas mentes no “modo automático” e assim acabamos agindo e até mesmo pensando de uma maneira simplória e reativa, passando longe daquilo que queremos SER. Para isso a sugestão é abrir a mente e o coração para imaginar as situações a seguir:

PRECONCEITO : Você se acha uma pessoa preconceituosa? Você PENSA de maneira preconceituosa sobre as pessoas que frequentam a mesma academia que você?

Logicamente respondeu “NÃO” a essas duas perguntas, MAS o desafio aqui é imaginar duas situações corriqueiras e simples, e DEPOIS DISSO, repense essas questões e faça uma análise do quanto está “contaminado” pelas situações medíocres que nos afetam todos os dias.

Primeiro imagine estar a caminho do trabalho e ao passar em frente a um canteiro de obras, chama sua atenção o físico de um dos trabalhadores que ali está. Um servente de pedreiro musculoso, seco e vascularizado. A musculatura toda aparente e tonificada. Certamente irá pensar assim:

“Que GENÉTICA fantástica! Esse cara nem deve ir pra academia, se é que ele vai, provavelmente não usa as mesmas técnicas avançadas que eu, não tem acesso às mesmas informações, muito menos à minha dieta e suplementação. Deve tomar café com leite de manhã, comer arroz, feijão e farinha no almoço e no jantar um sanduíche de mortadela com um copão de garapa; e consegue ter um físico de campeão! Se ele treinasse comigo ou com um dos meus colegas com certeza poderia se tornar Mr Olympia!!!”

Esse pensamento demonstra que sua Educação coloca você no “topo da pirâmide” aqui no Brasil. Se você é um praticante leigo está muito bem informado, e se for um profissional de Educação Física, com certeza estudou muito bem o genoma humano. MAS MESMO ASSIM FOI CONTAMINADO por idéias preconceituosas que são despejadas em nossas cabeças todos os dias como provaremos a seguir.

Em uma outra situação hipotética (onde o evento com o pedreiro não existiu) você entra na área de pesos livres da academia e vê O MESMO CARA, o mesmo físico primoroso, mas dessa vez fazendo uma Rosca Direta. Músculos definidos, grandes e aparentes por causa do estímulo do exercício.

AGORA REFLITA ANTES DE RESPONDER: você vai pensar O QUÊ?

Provavelmente assim: “Sensacional o corpo deste cara, mas ele já tomou alguma bombinha COM CERTEZA. Ninguém fica assim NATURAL!!!”

Verdade ou mentira??

O problema real não é VOCÊ (“topo da pirâmide educacional do Brasil”) pensar assim. Grave é o restante da população, que é muito menos esclarecida. A falta de informação faz VÍTIMAS como aqueles pobres ignorantes que se enchem de óleo/ADE pra “ficar forte e virar o Hulk brasileiro”. E a mídia leiga dá espaço, aplaudindo ou discriminando, eles viram HERÓIS nas suas pequenas cidades, todas as criancinhas semi-analfabetas que os assistiram na TV vão querer imitar os “procedimentos” pra ter seus 15 minutinhos de glória em rede nacional, e O PIOR: com a legenda “FISICULTURISTA”.

Joe Weider deve virar no túmulo cada vez que isso acontece.

Essa disseminação do preconceito e da idéia equivocada que “só planta cresce natural” ainda piora quando celebridades de segunda linha pseudo famosas se auto intitulam “representantes do Esporte” e saem repetindo por aí : “Sou forte porque tomo veneno pra animal de grande porte.” ou qualquer outra insanidade semelhante.

Vítimas também as pessoas que não tem acesso a profissionais de qualidade e procuram “informação e orientação” nos blogs das ex-gordinhas, agora blogueiras fitness. Nada contra relatos de experiência pessoal, mas RECOMENDAR o mesmo para seus “seguidores e seguidoras” para conseguir audiência não é só falta de responsabilidade, é exercício ilegal da profissão também, portanto CRIME.

Num país campeão do mundo em número de cirurgias plásticas e bariátricas, com a maioria da população com sobrepeso e obesidade infantil crescente, ESTIMULAR as pessoas a praticar exercícios e adotar hábitos de vida saudáveis é obrigação de TODOS. Mas ORIENTAR é exclusivo aos profissionais. Exatamente porque as pessoas não conhecem suas necessidades e limites. Imitar os procedimentos de praticantes que obtiveram sucesso não garantirá o seu.

Amplamente divulgada a quantidade de desinformados que se lesionaram repetindo os exercícios RECOMENDADOS na internet por esses “orelhudos sem formação” ; que não tem como MISSÃO aprimorar a saúde da população. Ao contrário, seus objetivos são egoistas e egocêntricos, como fama e sucesso, publicidade e “permuta” em academias da moda ou restaurantes badalados, até mesmo marcas de roupa e acessórios.

No meu tempo essa galera era taxada de BICO, e essa prática de ESCAMBO. Mas tem gente que adora isso, venera e aplaude. Talvez caiba a NÓS mudar tudo isso, já que os órgãos governamentais competentes são omissos ou se eximem de ações mais enérgicas, preferem simplesmente divulgar “notas de repúdio”. Quem sabe é um começo.

Agora partindo da falta de Educação para a “Etiqueta”; algumas regras óbvias infelizmente precisam ser bem explicadas devido à popularização das academias “low cost” no nosso país nestes últimos anos. Realmente enxergo isso como uma evolução no nosso Mercado, mensalidades a preço de um almoço pra casal com equipamentos e instalações de ponta.

Dois pontos negativos (porém transitórios , acredito) neste processo é que algumas “academias de bairro” que não tiverem diferencial ou material humano muito competente vão sucumbir, porque na estrutura será impossível competir. E também, apesar de permitir o acesso a atividade física de qualidade a uma população que antes não tinha, esse custo excessivamente baixo também atrai muita gente que não tem o que fazer. Ou pior, aqueles que AINDA acham: “Tô pagando, Faço o que quiser!!!”

Como FELIZMENTE esse “povo” não é MAIORIA vale a pena reiterar algumas regras, digamos assim, para uma convivência “saudável”:

SALA DE MUSCULAÇÃO É PARA FAZER MUSCULAÇÃO : Imagine o que aconteceria se dois “marombeiros” entrassem num TATAME no meio de uma aula de jiu-jitsu levando seus halteres ou barras e iniciassem ali os exercícios? Será que os alunos do Studio de Pilates também não ficariam “incomodados” se moça bem musculosa entrasse ali e realizasse num cantinho uma Elevação Pélvica com um dumbell de 50Kg no colo? Claro que sim.

PORTANTO, ficar saltitando como uma gazela fazendo poli chinelos na área de pesos livres, pendurar-se como um macaco na barra fixa para fazer o “abdominal reloginho” ou equilibrar-se como um artista circense na Bosu Ball no local da musculação ATRAPALHA SIM! Exercícios resistidos não têm saltos, impacto, contato nem mudança brusca de direção.

Se isso acontecer durante a execução, mesmo que o praticante esteja segurando um par de halteres ou com uma barra no pescoço ISSO NÃO É MUSCULAÇÃO.

Em tempo movimentos de LPO (Levantamento de peso olímpico) TAMBÉM não são exercícios de Musculação. Nada contra essa ou outras atividades como Mahamudra, TABATA Training (KKKKK!!!) ou Crosshit. MAS NÃO NA SALA DE MUSCULAÇÃO. Acredite, além da FALTA DE EDUCAÇÃO existe também riscos de acidentes.

too-many-weights

USO DOS BANCOS: Não pise nos bancos para fazer Avanço ou Afundo, não há essa necessidade, ESPECIALMENTE se a “lição de casa” no Agachamento ou Leg Press foi executada “como se deve”. Não deveria nem perder tempo citando que os bancos de supino não foram feitos também para o “praticante” apoiar as mãos e ficar saltitando sobre eles, MUITO MENOS para apoiar garrafas, coqueteleiras, celulares e toda sorte de TRALHAS

USO DO CELULAR: Será que estamos realmente tão ocupados ou “viciados” neste aparelho que não podemos ficar longe dele por 50 minutos (que é o tempo necessário para um treino eficiente)? Analise o que é uma necessidade ou só uma “mania”. Se realmente for importante exercitar-se com o aparelho, deixe-o no modo silencioso. Em hipótese nenhuma atenda chamadas na sala de pesos e REDOBRE a atenção quando estiver revezando alguma máquina com outras pessoas. Não “empate” o aparelho olhando suas mensagens ou redes sociais entre as séries. Isso atrapalha o foco necessário para a eficiência do treino, compromete sua segurança e ATORMENTA quem está esperando para revezar

GUARDE OS PESOS NO LOCAL ADEQUADO: Reparou que quanto mais “frango” dentro de uma academia maior a bagunça? Preste atenção: dificilmente você vê um par de dumbells de 40kg fora do lugar ou sendo “atirado” ao solo. São sempre pesos pequenos. Assim como também ninguém deixa 400 ou 600kg num Leg Press, deixa 40 ou 60kg. Não é porque “você está pagando” que os professores ou pessoal de manutenção ou recepção tem que arrumar sua bagunça. Eles não estão lá pra isso. E entenda que guardar adequadamente significa GUARDAR ADEQUADAMENTE, ou seja, você não está sendo educado quando coloca duas anilhas de 20kg num anilheiro SOBRE duas anilhas de 5kg.

Precisa desenhar??

Usar toalha de rosto durante o treino é básico, falar baixo idem, segurar os “gritinhos” e grunhidos durante o exercício também. LEMBRE-SE: evoluir nos seus treinos (e na vida) e preocupar-se com seus colegas de academia (e de “jornada”) para fazermos juntos um lugar melhor pra viver DEPENDE SÓ DE VOCÊ!!!

Boa sorte e bons treinos!!!

A intensa e equilibrada luta entre Dexter, Rhoden, Ramy, Bonac e Roelly

1962-arnold-classic-europe-649_final

 

Esses cinco espetaculares atletas se enfrentaram 3 vezes nas últimas semanas.

Seu físicos têm oscilado pouco e os resultados têm sido equilibrados, porém, sem ninguém saindo muito na frente.

Vejam esse comparativo de como eles se classificaram no Olympia, Arnold Europa e Kuwait Pro 2016:

Olympia: Rhoden – Dexter – Ramy – Willian – Roelly
Arnold:   Dexter – Ramy – Bonac – Rhoden – Roelly
Kuwait:  Ramy – Dexter – Rhoden – Roelly – Bonac

Isso cria uma rivalidade e uma expectativa excelente para 2017.

Em quem você apostaria como destaque do ano que vem?

Big Ramy Vence o Kuwait Pro 2016

Kuwait Pro 2016

 

Sim, tivemos um Pro Show hoje – Quinta-Feira, 29 de Setembro. E a razão disso é que a IFBB está tendo seu habitual Tour Pós-Olympia. Em algumas ocasiões o calendário é tão apertado que os atletas fazem 3 shows em um período de 7 dias.

É o que está acontecendo este ano. Tivemos o Arnold Madrid (24/09), Kuwait Pro (29/09) e o GP de Praga (01/10).  Ainda teremos o Nordic GP, dia 08/10 e o Olympia Europe, dia 22/10 – Encerrando a temporada Européia de Bodybuilding Profissional.

Desde os anos 90, esse Tour pela Europa acontecia. Em 2016, seguindo o novo cenário Geopolítico do Bodybuilding, o Oriente Médio foi incluído na lista e tivemos o Kuwati Pro Show.

A competição seria ferrenha entre cinco atletas – Dexter Jackson, Shawn Rhoden, Big Ramy, Willian Bonac e Roelly Winklaar.

Big Ramy vem melhorando a cada apresentação e cada vez mais calando a minha boca. No Kuwait Pro ele veio cheio, seco e com cortes mais profundos. Tem melhorado a cada dia.

Sua pose de triceps de lado se mostrou mais “estética” do que a de Dexter e Shawn.

Big Ramy venceu mais um Pro Show, mas o principal fato foi de que, pela primeira vez, ele superou Dexter Jackson.

Outro fato curioso é a briga extremamente equilibrada entre Rhoden, Dexter, Ramy, Bonac e Roelly.

Vejam aqui uma comparação entre esses caras no Olympia, Arnold Madrid e Kuwati Pro e perceba como as colocações se alternaram absurdamente nesses shows.

 

banner dcfit comece agora

Resultado final Kuwait Pro Show:

1- Big Rammy
2- Dexter Jackson
3- Shawn Rhoden
4- Roelly WInklaar
5- Willian Bonac
6- Nathan de Asha

Quantas vezes cada Campeão do Olympia teve que competir no Grande Show antes de se tornar vencedor

Mr. Olympia 2009 (2)

O Mr Olympia é disputado desde 1965 e se tornou indiscutivelmente o mais importante título do Bodybuilding Mundial.

Apenas 13 homens tiveram o privilégio de ganhar essa competição. Ao longo de mais de cinco décadas de competições, dezenas de outros atletas excelentes tentaram, sem sucesso, levar esse título para casa.

Considerando que o Olympia é o título mais importante, também podemos dizer que ele é o mais difícil de se obter. A competição é feroz, o nível, elevadíssimo.

Ao longo da história, pudemos presenciar verdadeiras dinastias como  Lee Haney e Coleman reinando por oito anos, Arnold por sete e Dorian Yates vencendo durante seis anos.

Essas longas sequencias de vitórias nunca foram fáceis de serem mantidas. Os campeões conviviam ano após ano com atletas mais novos os perseguindo e esperando um deslize, para que pudessem agarrar o troféu de Campeão.

Com tantos atletas reinados longos, muitas vezes, alguns futuros campeões acabariam tendo que esperar muitos anos para se tornarem Mr Olympia.

 


Veja também:  Batalha de poses: Phil x DExter no Olympia 2015


 

Apenas Larry Scott venceu o Olympia em sua primeira tentativa, mas isso se deve ao fato de que isso aconteceu na primeira edição da competição. Após Scott, todos os outros campeões tiveram que disputar mais algumas edições do Mr Olympia antes de chegarem ao Topo.

Alguns iluminados como Sergio Oliva, Arnold, Lee Haney e Dorian Yates se tornaram Mr Olympia logo na segunda que disputaram a competição.

Chris Dickerson, Sammir Bannout e Phil Heath, foram campeões na quarta tentativa. Enquanto que Franco Columbu e Frank Zane só foram vencer na quinta tentativa.

O Incrível Ronnie Coleman só foi se tornar Mr Olympia na sexta vez em que ele participou. Jay Cutler, na sétima e finalmente, Dexter Jackson – que foi campeão somente na nona vez.

Históricamente, nenhum atleta venceu o Mr Olympia em sua terceira tentativa.

Vejam abaixo a lista de todos os vencedores, o ano em que venceram seu primeiro título e em qual tentativa eles tiveram sucesso:

 

banner dcfit comece agora

 

Larry Scott                                     1965                  Primeira

Sergio Oliva                                   1967                  Segunda

Arnold Schwarzenegger                1970                  Segunda

Franco Columbu                            1976                  Quinta

Frank Zane                                    1977                 Quinta

Chris Dickerson                             1982                  Quarta

Samir Bannout                               1983                 Quarta

Lee Haney                                     1984                 Segunda

Dorian Yates                                  1992                 Segunda

Ronnie Coleman                            1998                  Sexta

Jay Cutler                                       2006                 Sétima

Dexter Jackson                              2008                  Nona

Phil Heath                                      2011                 Quarta

Kai conta o que o fez explodir de raiva em 2014

Os palcos do Olympia nunca viveram um momento tão tenso quanto aquele que ocorreu nas prévias de 2014 – onde Kai Greene e Phil Heath quase saíram na porrada, literalmente.
Tudo começou na Press Conference (Uma espécie de coletiva de imprensa), evento no qual os atletas se reunem, respondem perguntas e contam sobre suas expectativas para o show.

Na Press Conference de 2014, realizada um dia antes das prévias, Dennis James – que apresentava o evento junto com Bob Cicherillo) perguntou a Phil Heath o que ele achava do fato de Kai Greene ter assinado posters oficiais do evento em 2013 se auto-entitulando Mr Olympia.

Phil respondeu que achava um desrespeito a ele e a todos os atletas que já haviam vencido o Mr Olympia. Para você ter o direito de dizer que é Mr Olympia, você preciso vencer o Mr Olympia.
A coisa ficou ainda pior quando Phil estava dizendo que dedicaria o Título de 2014 ao seu pai, que havia falecido alguns meses antes.

Imediatamente Kai o interrompeu e disse: “Você deveria ter dedicado isso a ele nos 3 anos anteriores (enquanto ele ainda estava vivo).”


Veja também:  A Maldição de Big Ramy


A discussão continuou, enquanto Kai aumentava o tom de voz em direção a Phil, sempre o interrompendo em suas respostas. Em um determinado momento, Kai estava tão nervoso que chegou a meio que levantar de sua cadeira dando a impressão que partiria para cima de Phil ali mesmo.
Voltando para as prévias, Phil e Kai estavam lado a lado durante as comparações quando a confusão começou. Eles começaram a se acotovelar, as cotoveladas de leve viraram empurrões até a hora em que Kai joga a sua trança no rosto de Phil.
Os dois se estranharam de verdade e foram se encarar, ficando com narizes literalmente separados por alguns milimetros. Nesse momento todo achou que começaria uma briga de proporções épicas no palco do Olympia.

O Chefe dos árbitros, Steve Weinberger começou a gritar desesperado para que eles se acalmassem e rapidamente Denis Wolf foi colocado entre os dois.
A situação foi tensa, os caras se dando cotoveladas, a encarada dos dois, os berros meio desesperados do Weinberger, tudo contribuiu para aumentar a pressão dentro do Orleans Arena.

No dia seguinte, durante as finais, todos esperavam um clima ainda mais pesado, espacialmente no final, quando o nome do vencedor fosse divulgado. Mas quando Phil foi declarado vencedor, Kai simplesmente o cumprimentou educadamente.

 

banner dcfit comece agora

 

O que deixou Kai tão nervoso e descontrolado?

Peter McGough, editor da revista Muscular Development, entrevistou Kai e pode descobrir alguns fatos interessantes.

Ao ser perguntado sobre os fatos do Olympia 2014, Kai começou a sua longa e filosófica resposta. Segundo Peter, seu tom de voz foi subindo e no final, lágrimas escorriam dos olhos de Kai. Como sempre, Kai deu uma resposta longa e nem sempre muito clara. Ele se referia a si próprio na terceira pessoa, as vezes. Outras vezes falava coisas sem citar nomes, mas que eram claramente para Phil heath.

“Primeiramente, filmar Generation Iron em 2012 foi uma grande oportunidade para mim. Mas isso trouxe algumas dificuldades e me deixou dividido em alguns momentos.
Eu realmente queria me focar na preparação para o Olympia 2012, mas também assumi a responsabilidade de fazer o filme. Eu treinei diversas com as cameras me filmando – e eles me pediam para olhar para um lado ou outro de vez em quando. As vezes me pediam para aumentar os pesos. Nesses treinos, eu estava tomando decisões baseadas em ser um ator ao invés de ser um atleta se preparando para o Olympia.

E aí, você está no evento de estréia do filme, tapete vermelho e tudo mais. Você está sentado no cinema, sem a mínima idéia de como o filme foi editado e de como o diretor irá retratar você ou quais cenas irão aparecer.
Enquanto o filme vai sendo exibido, você vai se sentindo embaraçado e envergonhado pelo fato de que todos os problemas pessoais e inadequações vão sendo expostos.

briga-kai-greene-phil-heath-mr-olympia

Enquanto isso, todos os outros vão sendo mostrado como tendo uma vida agradável, situações confortáveis e casas grandes e bonitas.

E você está investindo todo o seu tempo, esforço e energia em um sonho que na verdade não rendeu os frutos desejados, já que você termina o Olympia 2012 em segundo lugar e volta para aquele pequeno buraco que é o seu apartamento.
Você está ali, sentado no cinema, se sentindo embaraçado, envergonhado e com raiva. E aí você escuta Phil e sua turma rindo durante algumas cenas que você aparecia.
Você está sentaod ali, inundado por emoções. Você não quer que as luzes se acendam por que você não quer que as pessoas te vejam chorando.

Eu não culpo Generation Iron por isso. Eles estavam fazendo um filme e queriam drama. Eu sabia que eles iriam me apresentar, mas o que me abalou foi que as minhas inseguranças estavam lá para todo mundo ver e algumas pessoas tiraram o sarro disso.
Eu disse para mim mesmo que aquilo nunca iria acontecer novamente. Você (Phil Heath) não irá rir das minhas inseguranças novamente. Eu saí do cinema chorando e caminhei até a academia mais próxima. Eu estava acabado. Me sentindo ressentido, envergonhado e inadequado.

Eu disse para mim mesmo que eu preferia morrer à dar a aportunidade de você (Phil) rir de mim novamente.

E lá estávamos nós, no palco do Olympia 2014 (Nota – O Generation Iron teve sua premiere realizada uma semana antes do Olympia 2013. Todos esses fatos do cinema, citados por Kai ocorreram sete dias antes do Olympia 2013. Por que ele só foi deixar toda essa raiva extravasar em 2014, eu não sei.)


Veja também:  Kai Greene fora do Olympia 2015


 

Eu ia pegá-lo finalmente. Essa não é uma situação hipotética. Isos real Cara. É agora. Eu não vim aqui hoje para ser aquele cara que ficou sentado no cinema, quieto. O melhor que tenho oferecer está aqui e você irá sentir isso!”

Nesse momento, Peter Mcgough diz que Kai estava alterado, lágrimas nos olhos, tom de voz mais alto, como estivesse revivendo aquele momento e pronto para brigar novamente.
Nesse momento, Peter o conforta dizendo que poucos conseguiram o sucesso que ele (Kai) consegui no Bodybuilding.

Isso tudo é bem interessante. Podemos perceber o quão perturbado o psicológico de Kai é. Mas podemos perceber o quanto as ações de Phil, nem sempre muito cordiais incendiaram essa briga.
A situação todo foi muito feia, anti desportiva. Não queremos ver atletas se desrespeitando, muito menos brigando em cima do palco.

Os dois agiram muito errado, os dois se provocaram de uma maneira baixa e ruim.

Phil saiu por cima, continuou vencendo o Olympia. Kai tem uma legião de fãs.

A vida segue, o esporte segue. E o bodybuilding é muito maior que tudo isso e continuará sempre sendo um esporte fantástico.

Levrone finalmente revela seu físico

No dia 24 de Julho, um dia após o Baltimore Pro Show, a revista MD foi filmar e documentar um treino de Kevin Levrone. Qual a importância disso?

Caso você esteja vivendo dentro de um iglu no Alaska e não saiba das útimas notícias do mundo do Culturismo, vou recapitular.

Levrone anunciou que iria competir no Olympia 2016, mais de dez anos após sua última competição.  Muito suspense tem sido criado nas últimas semanas sobre esse fato.

Fãs de todas as idades estão ansiosos para vê-lo no palco. Os fãs mais velhos estão felizes por poderem voltar a ver um competidor Top dos anos 90 de volta; os mais novos, excitados com a possibilidade de ver uma lenda do esporte posando ao vivo e competindo em alto nível.

Com tudo isso na mesa, uma outra grande discussão vem tomando conta dos grupos de fãs do bodybuilding: “Será que o Levrone consegue trazer um físico decente em Setembro?”

Faltam menos 8 semanas para o show e ainda não tinhamos tido nenhuma idéia concreta de como ele poderia estar a essa altura. Apenas um pequeno video em baixa resolução, focando inconclusivamente seus braços, havia sido divulgado.

Mas no último Domingo, dia 24 de Julho, uma equipe da revista MD filmou um treino de costas com ele. Algumas fotos foram postadas e agora podemos ter uma ideia melhor de como ele está.

 


Veja também:  Levrone fala sobre o bodybuilding nas redes sociais


 

O verdadeiro transformer

Nos anos 90, logo após se tornar Pro e ficar em segundo lugar na sua estreia no Olympia, Levrone sofreu uma ruptura no peitoral fazendo crucifixos em uma noite fria.

A lesão, e consequente cirurgia, o fizeram ficar sem treinar durante meses. Para competir no próximo Olympia, ele teria apenas poucos meses de treino e preparação. E ele se saiu muito bem naquele ano. Apesar de ter caído algumas posições em relação ao segundo lugar do ano anterior, Levrone percebeu que seu físico respondia muito rápido aos estímulos e que ele poderia seguir com aquela estrategia.

Nos anos seguintes, Kevin treinava durante os seis meses prévios ao Olympia e descansava seu corpo e fazia turnês com a sua banda – chamada Full Blown – durante o resto do tempo.  Ele era capaz de fazer verdadeiras transformações nesse curto período de tempo e levar o seu físico a mudanças drásticas em um espaço de tempo considerado impossível para a maioria dos mortais.

 

banner dcfit comece agora

 

De volta para o Futuro

Deixando os anos 90 para trás e voltando aos dias de hoje, temos um Levrone com mais de 50 anos, que passou mais de uma década sem competir e nem treinar consistentemente. Essa situação vem causando um nós na cabeça de muita gente.

Seria ele capaz de se sair bem, trazer de volta aos palcos um físico fenomenal e lutar por boas colocações contra a nova geração no Olympia 2016?

Afinal de contas, Dexter Jackson tem se mantido no posto de segundo ou terceiro melhor culturista do Planeta nos últimos dois ou três anos. E ele também tem quase 50 anos.

Isso mostra que a missão de Levrone seria um pouco mais plausivel? Dexter traz mais esperanças para os fãs de Levrone?

Ou ele somente ajuda a tirar as esperanças, já que Dexter vem se mantendo ativo, competindo e treinando sem intervalos nos últimos 30 anos?

Quanto que a genética de Levrone pode contrabalancear fatores como idade avançada e anos sem treinamento adequado?


Veja também:  Video – A Volta de Levrone e suas implicações no Olympia


A magia ainda é possível?

Voltando ao foco do artigo, finalmente tivemos uma ideia melhor de como o físico de Levrone está a essa altura do campeonato. Veja algumas foto abaixo:

levrone

Ele não está nada mal! Não está mal para um homem de 52 anos recém completados (em Julho). Não está mal nem para um cara de 40 anos, nem 30 anos. Ele ainda tem todo o shape e bom volume.

Mas pelas fotos, a confiança pessoal que eu tinha de que ele ficaria no Top 5 ou melhor, escoou pelo ralo. Eu já não sinto mais que ele possa ir tão bem assim. Parece que ainda falta volume, e mesmo ele sendo Kevin Levrone, não sei se ele consegue essa.

Seus braços estão enormes, mas os ombros parecem um pouco menores. Ele já está bem seco, com obliquos bem aparentes e cortado, mas ainda não vimos suas pernas nem suas costas. Impossível prever como está sua condição geral.

Ele está de roupa, são fotos. Tudo isso torna a analise mais complicada. Ele ainda tem 8 semanas e tenham certeza de que ele ainda vai mudar muito nesse período.

Ainda precisamos ver suas pernas e costas, seus pontos fracos meso quando estava no auge. Dificil julgar por fotos, mais dificil ainda se o atleta está de roupa.

Mas pelo que vi nas fotos, começo a ter minhas dúvidas se Levrone conseguirá entrar no top 6, até mesmo Top 10.

Qual a sua opinião?

Detalhes nas poses de costas de Cedric McMilan

1793650

 

Na última foto desse artigo, farei uma análise de um atleta isolado – Cedric McMilan. Nas fotos anteriores comentei sobre os quatro primeiro colocados (Kai Greene, Cedric McMilan, Josh Lenartowicz e Justin Compton) posando juntos e as curiosidades nesses confrontos. Agora, farei um simples comentário e observação sobre como coisas aparentemente bobas passam despercebidas pelos atletas.

O bodybuilding é um esporte cheio de facetas e detalhes. E quanto maior o nível da competição, mais decisivos são os detalhes – por menores que pareçam.

Aqui vemos as poses de costas de Cedric McMilan. Cedric não é um mass monster, seu ponto forte certamente não é o extremo volume muscular. Tendo isso em mente, fatores como proporção, simetria e poses contam muito para ele.

Ainda mais quando consideramos o fato de que ele esteja lutando pelo título do Arnold Classic com uma máquina chamada Kai Greene. Kai é extremamente volumoso e um exímio posador. Portanto, para vencer Kai, Cedric não pode errar.


Veja também:  Fotos comentadas do Arnold África 2016


Analisando as duas poses de costas de Cedric, notamos que na expansão de Dorsais (direita) ele levanta o calcanhar da perna esquerda para mostrar um pouco melhor sua panturrilha e femorais. Nesse caso ele consegue manter seu quadril perfeitamente alinhado horizontalmente e a coluna perfeitamente verticalizada. Isso valoriza a pose, a noção de simetria.

No entanto, na pose Duplo biceps de costas, ele levanta o calcanhar da perna direita. Aparentemente ele não tem o mesmo controle na perna direita, não flexiona tanto o joelho. Como consequência, o lado direito de sua pelve fica levemente mais elevado que o esquerdo. Isso faz com que a sua coluna descreva uma curva em C, quebrando o visual da pose e tirando um pouco a noção de simetria e impedindo que ele, por exemplo, exponha a sua árvore de Natal corretamente.

Detalhes como esse são importantes, ainda mais se o cara do seu lado se chama Kai Greene – que tem dorsais do outro planeta e posa de maneira perfeita.

No Arnold Ohio, Cedric liderava logo após as prévias, onde os árbitros julgaram os físicos. Mas foi batido por Kai e perdeu o título nas finais, onde as poses tiveram maior peso no julgamento.

Como vimos nas fotos anteriores, Cedric apresentou diversos equívocos nas poses. Se ele tivesse se preocupado mais com esses “detalhes”, ele teria saído de Ohio com o seu primeiro Título do Arnold Classic.

Não percam o artigo completo nas próximas horas.

 

banner dcfitmais informações

 


Veja também:  Levrone fala sobre o bodybuilding nas redes sociais


 

ENGLISH VERSION

In the last picture of this article, I will make an analysis of a single athlete – Cedric McMillan. In previous photos I commented about the TOP 4 (Kai Greene, CedricMcMillan, Josh Lenartowicz and Justin Compton) posing together and curiosities in those Callouts. Now, I will make a simple comment and observation on how seeminglysilly things go unnoticed by athletes.

Bodybuilding is a sport full of facets and details. The higher the level of competition, more decisive are the details -no matter how small they may seem.

Here we see Cedric McMillan back poses. Cedric is not a mass monster, his strong point is certainly not the extreme muscle size. With that in mind, factors such as proportion, symmetry and posing play a huge role for Cedric´s success.

Especially when we consider the fact that he is fighting for the Arnold Classic title with a machine called Kai Greene. Kai has tons of muscle mass and a very skilled poser. So if Cedric wants to beat Kai, he cannot afford any mistakes.

Analyzing Cedric´s back poses, we note that in the back lat spread (right) he raises his left heel to show a little better his calf and hamstrings. In this casehe can keep his hip perfectly aligned horizontally and a perfectly vertical spine line. This enriches the pose, allowing a better notion of symmetry.

However, in back double biceps pose, he lifts the heel of the right leg. Apparently he does not have the same control in the right leg. As result, the right side of his pelvis is slightly higher than the left. This make his spine describe a C curve , breaking the pose and taking a little notion of symmetry and preventing it from, for example, expose his Christmas tree properly.

Details like these are important, especially if the guy on your side is called Kai Greene – who has a back from another planet and is a flawless poser..

Cedric was leading after prejudging. He was defeated by Kai and lost the title in the finals, where the posing round was held.

As we have seen in previous photos, Cedric had many little flaws on his poses. If he had been more concerned about these “details”, he would have left Ohio with his first title of the Arnold Classic.

Do not miss the full article in the next hours.